DIÁRIO DE SÃO PAULO
(26 de março de 2011)

EONOMIA

 

 

 

CORRETOR DE SEGUROS TOMA, AO DIA, PELO MENOS 3 EXPRESSOS

 

   

Não dá para viver sem ele. O corretor de seguros Oswaldo Puertas Hernandes toma café expresso pelo menos três vezes ao dia, no Caffè Giramondo, no Centro de São Paulo e considera um dos melhores da metrópole. "Adoro o gosto do café e também do cheiro dos grãos. Atualmente existem muitas opções, vários tipos de cafés, dependendo dos grãos. O meu consumo já se tornou um hábito que será difícil de largar. De modo geral, a qualidade do café servido no brasil aumentou muito nos últimos anos", afirmou o corretor de seguros.

A opinião é compartilhada pelo administrador de empresas Lourenço de Oliveira, fanático pela bebida preta. "Não fumo e não preciso do café para ficar mais estimulado. Apenas gosto do sabor. Tomo pelo menos dois expressos por dia no horário de trabalho e outras infinitas doses em casa", afirmou Oliveira.

Fora da residência, é preciso prestar atenção no café servido, principalmente

agora que ficará mais caro. A barista do Caffè Giramondo, Janete Santos, dá algumas dicas importantes.

"Um bom café expresso pode ser identificado pela espuma cremosa e marrom que aparece na borda da xícara. Em um café "mais ou menos", a espuma é rala e é possível ver o preto do líquido. Agora, um expresso ruim possui excesso de água e não aparece espuma", afirmou a especialista, que trabalha há seis anos no estabelecimento.

Para fazer um bom café em casa, na cafeteira, é aconselhável encher o filtro com o pó até a borda, mas é importante que ele não fique socado, apenas "pousado" no recipiente.

Se a primeira dose não ficar no ponto, na próxima coloque o pó fazendo um montinho além do limite da borda. Assim, a bebida ficará mais saborosa. A quantidade de pó determina o teor.